Existe um grande clamor geral em prol da inclusão no atual cenário da educação brasileira e mundial. Na prática, o que se observa é uma verdadeira exclusão, quando o aluno está apenas de “corpo presente”, destacando-se a idade como grande parâmetro para os alunos serem inseridos nas turmas e não suas necessidades especiais.

        A Escola Maria Teixeira se coloca como mensageira e defensora da educação inclusiva, porém, desejando muito mais do que apenas “socializar” pessoas com deficiências educacionais ou sócio-culturais.

        A Escola Maria Teixeira vai além, deseja oferecer conteúdo adaptado para cada nível de capacidade e educação integral, visando perceber na prática as mudanças de comportamento do aluno que aprendeu. A partir disso, cada aluno, regular ou especial será mais independente, crítico e sujeito de sua história diante do grupo social. As diferenças são consideradas fontes de riqueza.

PEDAGOGIA DO RESPEITO ÀS DIFERENÇAS

A essência e originalidade do trabalho pedagógico consistem, exatamente, no fato de descobrir e desenvolver as eficiências de cada um. Entender o aluno como um ser integral com cognição, afeto, expectativas e herança sócio-cultural, desvelar suas fragilidades e suas potencialidades e estimulá-los na aventura do conhecimento e autoconhecimento. O olhar recai sobre o processo, mas também intenciona alcançar claramente um resultado, qual seja qualidade ensino.

       Salienta-se, que a Escola Maria Teixeira por ser uma organização do terceiro setor, particular e sem fins lucrativos é autônoma e mesmo em concordância com a legislação, propõe uma metodologia de inclusão muito própria. Sua grande premissa é estimular e melhorar as eficiências e não evidenciar as faltas e as deficiências. A Escola Maria Teixeira desenvolveu o que é chamado de “pedagogia do respeito às diferenças”, na qual a diferença é entendida como fonte de riqueza.

    A Escola desenvolve metodologias e tecnologias educacionais, sociais e ambientais que promovem não apenas a inclusão educacional, mas, contribui com o desenvolvimento sócio-ambiental da comunidade.

DISCIPLINAS ESPECIAIS

 Além das disciplinas tradicionais, existem mais três disciplinas diferentes:

ÉTICA DO AMOR

A disciplina é um dos eixos principais do trabalho educativo da Escola, que permeia todas as atividades pedagógicas. Tem como objetivo de ensinar conteúdos comportamentais que contribuam para uma atitude positiva, solidária, estimulando uma cultura da paz. Desta disciplina decorrem várias atividades e projetos, tais como: Gincana do Bem, Rádio Ouvindo e Aprendendo (rádio interna da escola), Aluno Solidário e Agentes do Bem (“ledor” para cegos).

LIBRAS

LIBRAS, a Língua Brasileira de Sinais é adotada sob três formas. É ministrada para todos os alunos como segunda língua. A Turma Nuvem, composta de alunos surdos recebe todos os conteúdos diretamente em Libras como primeira língua. A Libras também é utilizada como alternativa de comunicação para alunos com dificuldade de fala, com ótimos resultados.

RESPEITO À NATUREZA

 A disciplina trabalha as práticas voltadas à sustentabilidade, tais como reciclagem, manejo da horta e dos jardins, etc. A reutilização e reciclagem de materiais promove uma “cadeia produtiva sustentável”, evitando o desperdício, gerando renda com as oficinas artesanais e pedagógicas a partir da comercialização dos objetos transformados, dentre outros benefícios. Uma importante ação que decorreu desta prática verde foi a criação da Associação de Artesãos Amigos da Escola Maria Teixeira - AREMATE, formada prioritariamente por alunas e mães de alunos que trabalhando de forma solidária e criativa gera renda e oportunidade para os participantes e para a própria Escola Maria Teixeira, pois o resultado da venda dos produtos confeccionados é partilhado entre os artesãos e a Escola.

MOSAICO TEÓRICO

A Escola Maria Teixeira leva a sério sua missão de ser “uma escola sustentável e para todos”. Significa dizer, que dentro do mosaico teórico adotado como abordagem educacional, a inclusão é considerada como um pilar fundante, o alicerce de todas as outras facetas metodológicas.

    O construtivismo é uma das abordagens presentes no cotidiano escolar. A ideia é de se construir o conhecimento partilhado pelos atores do processo - professor-aluno -, a partir da realidade social dos sujeitos envolvidos.

     Outra peça desse mosaico teórico é a abordagem vivencial a qual destaca a importância da experiência concreta do aluno a partir de situações cotidianas. Os conteúdos são extraídos de momentos vividos permeando todo o processo pedagógico das disciplinas.

     Concretamente falando é experimentar de forma “prática” das informações conceituais. Neste conjunto de visões teóricas, cabe destacar que toda atividade docente é canalizada para a proposta da chamada “metodologia de projetos”, convergindo os conteúdos programáticos entorno de temas geradores a partir de atividades interdisciplinares.

     O ápice do projeto é traduzido em momentos culminantes, nos quais se apresentam os resultados de todo caminho percorrido no desenvolvimento dos projetos.

      Por fim, destaca-se ainda a abordagem multissensorial. Trata-se de gerar estímulos diversificados para os alunos. Dito de outra forma, por exemplo, que para um aluno disléxico, cego ou surdo, manipular as letras com massinha de modelar, auxilia na internalização do alfabeto na fase inicial do letramento.  

     Em síntese, a somatória destas abordagens sem delimitar-se onde começa ou termina uma influência, compõe a ação pedagógica promovida pela Escola e o que denominamos de “mosaico teórico”.

ESPAÇOS COMO ESTRATÉGIA DE INCLUSÃO

 O espaço físico também revela a intenção e funciona como uma estratégica de inclusão. As salas de aulas são casinhas individuais, com detalhes construtivos distintos e pintadas com cores diferentes.

     A concepção é que a escola, enquanto instituição deve ser vista e sentida também como um lar. A casa traz a representação do acolhimento e do pertencimento. Os detalhes construtivos diferentes e as cores distintas lembram que cada diferença traz sua beleza e riqueza.

     O conjunto de casinhas forma uma vila harmoniosa, que além de reforçar o conceito da convivência entre os diferentes, remete a uma pequena cidade de interior de característica bucólica, lembrando o fato de que é localizada na zona rural. A Escola é situada em uma chácara rodeada por um bosque de cerrado, com horta, árvores frutíferas e ornamentais, dentre outras características.

O ambiente rural

 por estar em zona rural os prédios e instalações são simples e respeitam esta realidade, buscando valorizar a natureza. Os espaços possuem forte “identidade ecológica”.

Acessibilidade arquitetônica e espacial

por atender a pessoas com necessidades especiais, a estrutura deve disponibiliza acesso aos alunos com rampas, portas largas e a disposição do mobiliário permite o deslocamento dos alunos, ambiente iluminados e sinalização visual.

Escola como complemento do lar

na Escola Maria Teixeira, as salas de aula são “casinhas coloridas”. O formato em salas individuais do tipo “casinha” rementem à ideia de que a Escola é o complemento de sua casa. As diversas cores trazem o conceito de que todos são diferentes e que a diferença deve ser entendida como fonte de riqueza.

Estratégia de Inclusão

Os espaços revelam a intenção e funciona como uma estratégica de inclusão. As salas de aulas são casinhas individuais, pintadas de cores diferentes lembram que cada diferença traz sua beleza e riqueza.

Formato de Vila

A disposição das salas de aula em forma de uma pequena vila com uma praça ao centro traz a concepção de uma cidade do interior, do campo com suas ruralidades. A vila traduz a alma de conjunto, e de que juntos somos mais fortes e melhores, pois um complementa o outro.

SEM PRECONCEITOs
SEM ESTIGMAS  

Para traduzir na prática os preceitos da inclusão pode-se destacar outras ações afirmativas. As turmas recebem nomes de elementos da natureza, sem hierarquia de importância ou designações preconceituosas.

Todos os entes da natureza são igualmente relevantes, a saber:

Turma Cristal

Estimulação de bebês especiais

______________

Semente

Educação Infantil

______________

Morango

1º ano

______________

Estrela

2º ano

______________

Sol

3º ano

______________

Lua

4º ano

______________

Arco-Íris

5º ano

______________

Passarinho

Dificuldade de Aprendizagem - 1º ano

______________

Beija-Flor

Dificuldade de Aprendizagem - 3º ano

Chuva

Dificuldade de Aprendizagem - 4º ano

______________

Nuvem

Turma Exclusiva de Surdos multi-seriada

______________

Flor

Turma de inclusão parcial

______________

Borboleta

Turma Exclusiva - Déficit Intelectual 2

______________

Céu

EJA Especial

multi-seriada – com inclusão cegos

______________

Esperança

EJA Especial multi-seriada

com inclusão surdos adultos

Este nome é a única exceção do conjunto, que traduz um sentimento de persistência uma vez que se trata de turma de adultos, que estudam fora da típica idade escolar.

Escola Maria Teixeira

(61) 98144 - 3406

(61) 99261 - 0540

contato@escolamariateixeira.com

Rua J. Meirelles, chácara 24, Jardim Gadiópolis 

Luziânia – Go | CEP 72.800 – 000 | Cx postal 118

Você pode nos ajudar de várias formas como doações em dinheiro, mantimentos, material escolar. Caso queira ser voluntário receberemos você em nossa equipe com muito carinho.

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now